Post da colunista: Os Cinquenta Tons de Cinza

Fiquei pensando no que falar por aqui no meu primeiro post e me dei conta de que o sucesso literário Cinquenta Tons de Cinza, a famosa trilogia de E.L.James, já vai estrear nos cinemas. Então acho que vou começar falando o que eu achei do livro e acho da polêmica criada em torno da história. Que tal?

O livro conta a história de Anastacia Steele, uma jovem quase formada, que ao entrevistar Christian Grey para o jornal da faculdade, no lugar de sua amiga, ganha seu interesse e vira seu mais novo objeto de desejo. Aos poucos e bem diretamente ele a rodeia, com seu jeito irritantemente controlador e ela cede, por também se encantar com ele. Mas ela não espera que alguém tão culto e interessante como ele se interesse tanto por sadomasoquismo e é aí que mora o tema central da coisa. É claro que isso a assusta, principalmente por envolver um contrato, mas ela resolve ceder mesmo assim.



Bom, para começar, eu só li o primeiro livro. Não foi por falta de vontade, mas porque outros apareceram na frente e eu só quis ler o primeiro porque estávamos no boom da história e eu queria saber até onde eu curtiria, apesar de já ter algum preconceito.

O personagem dele tem um comportamento que sai dos limites do que a gente acha normal: é possessivo, grosso e 100% manipulador. Mas eu gostei da maneira com que ele se preocupa com ela, apesar de tudo isso e independente das reações dela. No começo eu senti uma certa raiva dele, mas devagar a história foi me mostrando o que achar (ou deixar de). Já sobre a personagem dela, tem uma coisa que irrita, se combinada ao estranhamento sobre o tema: ela aceita tudo. E falo isso porque acho que uma personagem que aceita tudo não causaria o mesmo impacto se fosse assim em um romance bobo. Por gostar dele ou só gostar do que acontece entre eles, ela se arrisca e vira objeto de desejo dele. De início eu não gostei disso, é óbvio. Eu não entendi (e continuo não entendendo) como alguém conseguiria aceitar certas verdades de primeira na vida real, sem nem contestar. Mas, admito: depois que vi que ela era assim porque queria e porque ainda estava se descobrindo com ele, passei a engolir as manifestações do pensamento dela, que re-al-men-te irritam na leitura. Vai que era isso que ela precisava na vida, gente? (leia-se diálogos explícitos, ordens, lugares exóticos, ostentação e alguma direção na vida. :p)

Perceber esses detalhes me ajudou a gostar do livro, mas eu só saquei a jogada no final. Afinal, vamos combinar: criar a trilogia a partir de uma fanfic de Crepúsculo (que eu gosto bastante) usando esse tema foi de uma esperteza enorme. Principalmente porque explodiu um nicho não tão divulgado (falou a entendida!) e mexeu com a questão da moralidade. Mas se vocês pensarem bem, por que um Edward ou uma Bella não poderiam ser assim, lá no fundo? Ok, ok, agora me empolguei, mas quero dizer que ter lido antes de formar qualquer opinião foi uma boa escolha e que o mimimi em torno da publicação é até exagerado. Aliás, vários leitores me disseram que a história melhora em seguida e que existe uma razão para que eles sejam tão estereotipados no começo. \o/



Bom, mas essa é só minha opinião, né? A pessoa é fã de Bella Andre e de Sylvia Day, então deve ser fácil imaginar o quanto eu analiso mentalmente as histórias (loucamente). Estou doida para ver o filme e saber se vou gostar ou não. E vocês? 



10 comentários:

  1. Eu? Concordo com cada palavrinha, ponto e virgula que você escreveu. Acabeo de ler o segundo volume a pouco tempo e nem estava tão empolgada, pelos mesmos motivos que você. Pra falr a verdade comecei a ler o primeiro mais por curiosidade e pelo falatório que estava. Enfim, lendo 50 tons mais escuros, realmente percebi que deu uma melhorada boa. Não vou falar aqui o que gostei porque iria reescrever toda a minha resenha kkk.. então está convidadíssima a visitar meu blog e conferir também ok? Te espero lá!
    Sobre o filme, estou ansiosíssima e na expectativa de conferir se pelo menos essa adaptação será no mínimo fiel rsrs..

    Bjs Carol!
    (geek-pop.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  2. Olá Carol!
    Adorei o Post! Ouço muito muito falar neste livro e em relação a ele tem muito preconceito (O que acho injusto,pois existem pessoas que curtem o tema abordado na história) :/ Mas ainda não o li e nem sei se assistirei o filme, mas quem sabe né?
    Hahahahaha a Parte que eu mais gostei é que a escritora se chama Erika Hahahahahahaha

    Sucesso!
    http://maisumpracolecao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Carol.

    Eu li os três livros de 50 Tons de Cinza. Eu não curto o gênero erótico, então não tenho muito o que falar. Realmente Bella e Edward podiam ter feito mais coisinhas, fico imaginando aquela primeira noite na casa em Amanhecer onde nenhum deles precisa dormir. kkkkkkk'
    Confesso que já comprei meu ingresso de 50 Tons e estou ansiosa com o filme apesar de não ter gostado tanto do livro. Acho que possível eu curtir muito mais a adaptação que o livro. Depois quero saber o que achou do filme.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books BR

    ResponderExcluir
  4. Adorei o texto. Eu gosto do livro... Mas só gosto... Acho que o filme será melhor que o livro... Muito melhor... Não topo o Grey... Acho ele um menino mimado e birrento... Mas li os três livros... Nos demais a escrita da "pseudoautora" melhora muito... E que assim, quem gosta muito do gênero erótico percebe falhas quando ela aborda o BDSM... Porque não funciona daquele jeito... Mas James tem o mérito dela... Assim como Stephenie... Ajudo a difundir um gênero no mercado que agrada a muitos, mas que não tinha tanta diversificação e sofria grave preconceito.

    ResponderExcluir
  5. Não tenho interesse em ler a trilogia. Não curto muito esse gênero, mas respeito quem curte :)
    Aproveite as próximas leituras!
    Beijos

    minhasecretapoesia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Eu não tenho muita vontade de ler os livros e também não muita de ver o filme.
    Mas parece ser uma boa história apesar do tema um pouco picante haha'
    bjs

    ResponderExcluir
  7. Eu tenho a triloia aqui em casa desde ano passado, mas até hoje não li
    Eu super ansioso para ver o filme também hahahah

    ResponderExcluir
  8. Hey
    Eu comecei a ler o livro, mas, parei. Parei porque descobri que não gosto do gênero. Talvez, num futuro distante, eu passe a gostar. Porém, por enquanto, não.

    Abs

    ResponderExcluir
  9. Olá. Eu comecei a ler Cinquenta Tons de Cinza porque tava todo mundo falando do livro na época e eu queria saber o motivo do frisson. Resultado? Li os três, um atrás do outro. Confesso que a escrita não é a das melhores e aquele negócio de deusa interior irrita bastante, mas não acho que seja a pior coisa do universo, como muita gente diz. E os livros do gênero (alguns bem melhores), se difundiram no mercado literário graças a essa trilogia, então não tiro os méritos. Assisti o filme semana passada e estou apaixonada pelo Jamie. Preciso ver novamente. KKKKKKKK
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Li a trilogia pq tinha muito preconceito com eles rs No fim gostei bastante apesar de achar forte... e descobri a pouco tempo que foi baseado em uma fanfic de Twi (que também amo) É uma boa estória e adorei o filme!

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar.
Alguma dúvida? Se sim envie um e-mail para primaveraliteraria@gmail.com.

Primavera Literária por Rafaela Pinheiro 2014-2015. Tecnologia do Blogger.