Post da colunista: Sobre o livro "Na Ilha"

Oi, oi! Senti falta de vocês. :D
Aos poucos vou ganhar ritmo e aparecer por aqui nos dias certinhos, mas como alguns já me perguntaram: minha coluna aqui no blog rola toda quinta-feira. E hoje é dia, êêê! Como falei no meu último post, vou compartilhar uma resenha com vocês. Na verdade vou escrever de novo, porque copiar minha própria resenha, uma vez que o livro é incrível, é meio patético. 

Na Ilha, da autora Tracey Garvis Graves, é, sem dúvidas, um dos melhores do ano. E olha que ainda vem muito livro pela frente. O motivo é simples: eu não esperava gostar tanto de ler 288 páginas sobre dois personagens lutando para continuar vivos em uma ilha deserta. Carol, é um livro erótico? Não. É um romance dramático. E acho que foi justamente o gênero do livro que me ganhou. 



A história começa relatando uma viagem para as Ilhas Maldivas. A professora de inglês Anna Emerson é chamada pelos pais do adolescente T.J. Callahan para que ele reponha as aulas que perdeu durante o estágio mais difícil de seu câncer. Agora ele está em remissão e, portanto, passará as férias na companhia da família e de Anna, que aceita o convite.

Os dois são bem diferentes: Anna já tem 30 anos, um relacionamento um tanto desgastado e uma vida comum, enquanto T.J tem 16 anos, só quer voltar a ter uma vida normal, sair com os amigos outra vez e aprender a se relacionar com as garotas. Mas acontece que tudo na vida tem um momento, um destino (alô, Jota Quest!) e o impossível acontece: quando os dois embarcam rumo à Ilha, para a casa de veraneio da família, o avião cai nas águas do arquipélago.

Aí, pronto, é só tensão. Primeiro porque não imaginei que os dois sairiam vivos do acidente. Segundo porque as águas em que eles caem são infestadas de tubarões. E terceiro (sim, terceiro!) porque eles alcançam uma ilha completamente deserta com apenas as roupas do corpo. A partir deste momento, é o brilhantismo da autora que toma conta. Conhecemos os dois aos poucos, vemos como fazem para comer, dormir e sobreviver num ambiente completamente novo e sentimos tudo que eles sentem quando um dos dois apresenta algum problema. E, acreditem, como apresentam... 

É uma história interessantíssima sobre superação, sorte, destino e até preconceitos. E ainda conta com um cenário real, o que nos deixa ainda mais angustiados e com vontade de conhecer os protagonistas. Comecei a ler achando que não terminaria, mas terminei de ler sabendo que estava diante de um livro que pre-ci-sa ser adaptado.

Vamos torcer, né?


 Espero que tenham curtido! Prometo que até o próximo post respondo todos os comentários. ♥

Primavera Literária por Rafaela Pinheiro 2014-2015. Tecnologia do Blogger.